segunda-feira, 18 de outubro de 2010

E eu, sentada na sala de espera do consultório médico, li numa revista, sem saber o autor da crônica que descrevia um file do Festival de Tiradentes.

A revista já estava velha, meio rasgada, mas a frase ficou:

" Viajo porque amo.
Volto porque preciso."

E claro que os trocadilhos vieram na minha cabeça. E no momento pensei que ele merecesse escutar:

Viajo porque preciso. Sou do mundo, não me pertenço. Mas volto!
Volto porque te amo. Vou te levar pra viajar...

Bia

Nenhum comentário:

Postar um comentário