terça-feira, 11 de maio de 2010

Morte Densa

Bunita, tava fazendo umas pesquisas na internet e me deparei com um nome que já há algum tempo admiro.


Ainda quando trabalhada no Palácio das Artes fui chamada para tomar conta de uma exposição que me encantou tanto que as pessoas acabavam sempre me perguntando se eu era um personagem que fazia parte da exposição. Eheheh


Kiko Goifman é belorizontino como nós, mas vive em São Paulo há muitos anos. Ele tem vários prêmios nas costas e embora seu trabalho tenha sempre um lado social, o moço trabalha com uma abordagem muito criativa para não dizer inovadora quando se trata de tabus.


Por trás de lentes inusitadas Kiko escolhe como objetos de trabalho, temos comuns , mas os mostra com uma engenhosidade que não se limite a ótica de um único estilo, mas de um estilo único.


Super gosto das polêmicas do Kiko, que é antropólogo e talvez por isso tenha um olhar absolutos sobre uma realidade que preferirmos ignorar.


“Morte Densa” é meu documentário preferido do Kiko. É uma abordagem sobre “assassinos de uma morte só”. Ele discute homicídios que acontecem prioritariamente entre pessoas que têm algum tipo de relação. A conclusão é: dificilmente uma pessoa mata outra com a qual não tenha nenhuma ligação de proximidade.


Goifamn fez um estudo no qual o roteiro foi baseado e que aponta ainda para a existência de um componente moral nesses casos de assassinato. Em diversas entrevistas que realizamos a vítima sempre aparece como alguém que teve culpa em sua morte.


É por esta e por outras visões polêmicas de temas de objetos-comusn que Kiko ganhaou vários prêmios e virou referência no Brasil e no exterior.


Vou deixar aqui o acesso pro “Morte Densa” pra vc pensar se alguma dia mataria por amor...


Bia

Um comentário:

  1. nosssaaa...agora fiquei com medo de virar assassina...mto interessante amiga...suas colocaçoes....
    anonimo nada....é a vó!!

    ResponderExcluir